Pantone: cor de 2020 reflete preocupação
com a saúde mental

Publicado em 12 de dezembro de 2019 em Metrópoles

Em ação inédita, empresa mostra que escolha da cor do ano considerou momento atual e questões como depressão e ansiedade

A depressão e a ansiedade são consideradas males do século 21 e, em iniciativa inédita, a Pantone mostrou que a indústria do design está atenta ao problema.

Pelo 21º ano consecutivo, a marca anunciou a cor do ano, que norteará as produções de marketing, design e moda em 2020. O tom escolhido é o Classic Blue, um azul que, segundo a própria empresa, remete à cor do céu ao anoitecer. E que, conforme a cromoterapia, transmite tranquilidade e paz interior.

“Muitos de nós”, introduz a empresa de cores em uma apresentação recente, sentem-se “ansiosos, sobrecarregados e perpetuamente estressados”.

Segundo Leatrice Eiseman, especialista em cores e diretora executiva do Pantone Color Institute, a definição do Classic Blue passou por uma reflexão sobre o atual momento do mundo. Assim, mais que acompanhar tendências, a escolha proporciona uma “sensação acolhedora, é facilmente relacionável, honesta e não-agressiva”.

O Classic Blue – cuja referência é 19-4052 – é um azul de tom escuro que remete ao momento do anoitecer e, que segundo a cromoterapia, transmite tranquilidade e paz interior

Tendências

A escolha da Pantone foi louvável, na opinião do trend hunter brasiliense Yuri Zeredo. “Os tons de azul são frequentemente associados a esses sentimentos de calma e confiança, além de estabilidade e solidez. Classic Blue, no entanto, foi escolhido por representar uma experiência universal e agênero: olhar para o céu no final de um dia com a calma que precede o descanso e a expectativa esperançosa de um dia que está por vir”, pontuou.

A definição da cor, que pode parecer aleatória para leigos, é consequência de uma rigorosa observação sobre a movimentação dos mercados de cinema, design, tecnologia, moda, turismo e lifestyle. O objetivo final é a captura do zeitgeist, termo alemão que traduzido como o “espírito do tempo” ou a “alma verdadeira”, explica o profissional.

Outra atitude que sinaliza o esforço da label de cores em chamar atenção para o tema é o lançamento de bônus multissensoriais. Como uma música inspirada na tonalidade — a faixa eletro-pop chamada “Vivid Nostalgia” —, disponível no Youtube, além de um chá de frutas silvestres que será vendido.

Azuis da Pantone

Essa não é a primeira vez que a Pantone oficializa um tom de azul como a cor do ano. A primeira escolha da empresa, em 2000, foi o azul Cerulean. Depois, outros tons integraram a lista da marca: Aqua Sky (2003); Blue Turquoise (2005), Blue Iris (2008) e Serenity, que compartilhou o título de 2016 com o Rose Quartz.

Conteúdo originalmente publicado no Metrópoles